Translate

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Grandes encontros da História XLVI

Foto: Marcelo Migliaccio

O mendigo e o Copacabana Palace



Foto: Marcelo Migliaccio

Hotel de graça? 

Só o banco da praça...




8 comentários:

  1. A reforma agrária é uma das boas opções para diminuir esse triste quadro de pobreza no Brasil.
    .
    Dizer que o Governo sustenta vagabundos quando entrega o bolsa família para as famílias que precisam é uma falácia. O Governo sustenta vagabundos quando não pune os corruptos, as licitações fajutas, o nepotismo, etc...

    Cury

    ResponderExcluir
  2. Esse tema remete a outro tão grave e sério: os excluídos da mobilidade urbana. Trabalhadores que acabam sendo confundidos com moradores de rua por não terem condições de retornarem ao seus lares ao final de um dia de labuta, porque a passagem é cara e/ou o tempo de deslocamento é demasiado.

    Nas praças, nos abrigos públicos, e até mesmo nos pátios dos hospitais públicos eles tentam se abrigar.

    Recentemente o jornal O Dia divulgou que grande parte dos usuários do hotel popular na Central do Brasil é composta por trabalhadores nesta condição. E que muitos escondem dos familiares e empregadores essa situação humilhante e muitas vezes desumana.

    Coisas do Brasil. Haja PAC pra mudar isso.

    ResponderExcluir
  3. Mauro Pires de Amorim.
    Creio que boa parte dos leitores de seu blog sabem quais são as soluções para as questões inerentes à cidadania e que são pétreas, fundamentais em todos os países do mundo e portanto O Brasil não vai resolver tais questões por milagre, sem arregaçar as mangas e fazer o que tem que ser feito.
    E é justamente por isso e para isso que o Estado existe, principalmente num sistema político democrático de Estado de Direitos. Coloco o termo "Direitos" no plural, por serem vários esses direitos pétreos, fundamentais, embora todos estejam interligados e portanto correlacionados, compondo assim um mosaico em forma de rede ou de teia.
    Os únicos que parecem não entender isso são os partidos políticos brasileiros, pois seus membros e políticos estão mais preocupados em conquistarem o poder para dele se beneficiarem e formarem um grupo fechado e privilegiado em relação ao restante da sociedade e seus cidadãos. Digo, parecem não entender pois muito pouco se faz em termos de medidas eficientes e eficazes em tal sentido.
    Alias, eficiência e eficácia não são o forte em nosso país em diversas áreas e matérias. Muito pelo contrário, eficiência e eficácia no Brasil são coisas raras, enquanto que a incompetência, o cinismo, o mau-caratismo, a falsidade e o engodo, constituem padrões aceitáveis e até premiados.
    Com isso, podemos com base nessa prática costumeira, consuetudinária da condução do Estado e do poder deste, entendermos os motivos pelos quais os passos de mudanças em sentido positivo avança muito lentamente, quando avança, ou mantem-se estagnado ao longo do tempo cronológico em nossa história.
    Mas a democracia e o Estado Democrático de Direitos são uma prática constante ao longo da história também e os países, povos e nações que hoje estão num patamar de relações sociais mais avançadas que nós, só chegaram lá ao longo do decurso do tempo dessas práticas. Portanto, não adianta apenas votar, colocar os políticos no poder e virar as costas e deixa-los lá para se conquistar essas mudanças em sentido positivo. É preciso que se cobre dos governantes, dos poderes do Estado, que trabalhem nesse sentido ao longo do passo do tempo cronológico, pois na política, assim como no velho ditado popular, é o olho do dono que engorda o gado e o dono da democracia e do Estado Democrático de Direitos são os cidadãos, o povo e com isso, o dono do Estado, também são os cidadãos, o povo e não um ou outro governante ou partido político, afinal, todos os atos dos governantes e do Estado, são pagos e bancados pelo povo via sistema tributário e a representação do poder exercido pelos poderes do Estado através de seus governantes e autoridades, são legitimados e legalizados por um sistema no qual o povo concede sua anuência para tanto.
    Felicidades e boas energias.

    ResponderExcluir
  4. Pode ser mais uma vítima do nefasto neoliberalismo excludente, competitivo e predador e sua sede insaciável de lucro...diminuindo cada vez mais e progressivamente os postos de trabalho ou trocando muitos trabalhadores por uma única máquina. O pior de tudo é que o povo - fundamentalmente os pobres -, continua colocando-insustentavelmente- filhos no planeta sem a menor perspectiva de viver com dignidade.É a eterna mania/ignorãncia de perpetuação da miséria e não da espécie, caso tivessem as ideais condições financeiras...Como o sonho do pobre é ser rico...somente por ignorância ou burrice, os pobres não copiam os ricos que só possuem, no máximo, dois filhos, ou um , ou nenhum.
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  5. ECONOMIA BASEADA EM RECURSOS - Todo o jogo econômico e financeiro é uma fraude. O avanço tecnológico pode há muito tempo, automatizar 100% do trabalho humano (escravidão assalariada), cumprindo seu principal propósito de libertar o povo para viver em paz com os 5 As: Ar Água Alimento Agasalho e Abrigo. Nasceu tem o direito a dignidade plena, a cada consciência buscar seu maior desenvolvimento. ZEITGEIST

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem dera que isto pudesse acontecer.Simplesmente impossível...os donos do capital, jamais abrirão mão dos seus lucros incontroláveis e sempre mais vorazes..e , se puderem, vão começar a vender até o ar que respiramos.

      Excluir
  6. Eu ja conversei com esse mendigo. O nome dele é Jorge Cardoso. Disse que conhece vários países da América Latina, como Peru, Chile, Bolívia e Equador. Disse que tem parentes em São Paulo. Tenho até hoje, os videos que fiz dele. Ele fala algo da cidade de Aparecida (SP), bairro "Vila Mariana", que os parentes dele estão lá.

    ResponderExcluir