Translate

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Um poeta mineiro perdido em Copacabana

26 comentários:

  1. Lindo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Fiquei tão emocionada que corri pra ler um livro do Drummond! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Gostei do filme, já pode pensar em um longa, idéias você tem de sobra !!

    Cury

    ResponderExcluir
  3. Uau! Maravilhoso!!!
    Além de muito criativo, você é um melhores artistas de fotografia que eu vi.
    Valeu, Duilio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo, parabéns, meu querido amigo, que sempre foi pensador como o nosso poeta! Emocionante! Até breve!

      Excluir
    2. Valeu, Tania, vindo de uma poetiza como você, é melhor ainda.

      Excluir
  4. Marcelo "Jabor" Migliaccio?...rsss! Legal o filme!...Vira e mexe e você está falando ou postando fotos sobre esta estátua, não é Marcelo?...Mas nunca é demais falar sobre "O Pensador", ele merece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho uma das esculturas mais incrívels, a do Pensador.

      Excluir
  5. o filme é uma merda ,mas o diretor é um gênio.

    ResponderExcluir
  6. Joaninha Curiosa

    Evocativo, intimista, atemporal. Me dà mesmo a idéia de que o tempo para os grandes homens e pensadores, nao existe. O legado que nos deixam os plasman eternos - vingadores da morte que nao os conhecem - enquanto o tempo fica e nòs passamos.

    ResponderExcluir
  7. Sofisticado e popular, Carlos Drummond de Andrade é adaptado, traduzido, declamado, citado, analisado, debatido, lido, relido e amado de todas as formas, além de apontado por milhares de intelectuais, artistas, escritores, acadêmicos, críticos e leitores em geral, e, mui merecidamente, como o maior poeta do Brasil de todos os tempos (há quem prefira a Cecília Meireles, como a maior poetisa nossa).

    Ato contínuo, bela e justa "homenagem"através desta película com sensíveis imagens poéticas. Destaco a cena do cartaz onde se lê: "não furtem meus óculos, leiam meus livros". Bingo!.

    De uma beleza indiscutível é a cena em que o Drummond está "mirandaLUA"_ que o Fernando Pessoa chama de Nossa Senhora do Silêncio_ e ela , "como uma imensa aspirina boiando nua no céu", segundo o genial poeta Caetano Veloso (não existe coincidência...ele está tocando, agorinha mesmo!...no rádio),e a câmera coloca-a, divina e estrategicmente como o pingo do i, sobre a palavra fim, destino inexorável de tudo que é vida e pulsação. Bela obra do talentoso blogueiro.

    P.S. Muito bom e poético o comentário da Joaninha Curiosa.
    Abraço
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  8. Parabéns. Muito bom. Podemos aguardar outros, melhores, ainda.
    Abraço,

    Antonio Carlos

    ResponderExcluir
  9. Essa foto dos guardas está esquisita, hein?...hehehe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sim! Não tinha pensado em outra coisa não.

      Excluir
  10. Maravilhoso. Uma poesia para os olhos. Senti a marca do tempo passando...
    As vezes não nos damos conta de tudo que está mudando a nossa volta o tempo todo. Não só a nossa volta como dentro de nós mesmos. Parabéns e obrigada, Fernanda por tão bela indicação.

    ResponderExcluir
  11. Domingos Antonio Costa30 de julho de 2012 15:22

    Marcelo, quero parabeniza-lo pela produção desse belíssimo filme, onde mostra as belezas do Rio e resgata (e lembra a todos nós), do melhor poeta Mineiro, radicado em Copacabana que, na simplicidade dos textos relatava a magia da poeta! A voce Marcelo e toda a tua equipe de produção estão realmente de parabens por proporcionarem a nós que, embora distante ( Ainda não conheço o Rio e nem MInas, moro aqui no Rs em uma cidade onde temos a melhor agua mineral do Brasil e a segunda do mundo, chamada de IRAI), pudemos conhecer e se emocionar com as belíssimas imagens captadas pela tua equipe! Tambem faço algumas materias de filmagens e, sempre nas minhas produções escrevo uma frase que criei: 'AS IMAGENS 'FREIAM' O TEMPO E CONTAM A HISTÓRIA'! Parabens Marcelo.

    ResponderExcluir
  12. Há 50 anos como morador do Posto 6, é uma lisonja para este recanto de Copacabana, ter uma estátua do Poeta por aqui, lugar em que morou por anos, até sua morte. Agora você brinda a nós, seus leitores, com esse belíssimo documento, com fotografia impecavel. Muito bom!! Parabéns pelo projeto.

    ResponderExcluir
  13. Sua homenagem está à altura da cidade e do poeta. Abs.

    ResponderExcluir
  14. Legal, tb gostei. Fiquei pensando que se colocarem alguém vendendo os livros do Drumond ali perto, acho que iria vender bastante, e divulgar as poesias, e não só as poesias, mas tb as crônicas dele que eram maravilhosas (as que eu lia eram do JB) e tem tudo a ver com essa estátua e esse filme

    ResponderExcluir